MPES promove reunião em busca de melhorias na Rede de Atenção Materno Infantil do ES

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo, por meio do Centro de Apoio Operacional de Implementação das Políticas de Saúde (CAOPS), realizou na terça-feira (07/06) reunião para tratar do funcionamento da rede de atenção materno infantil- RAMI do Estado do Espírito Santo. O objetivo foi apresentar os dados atuais compilados nas Regiões de Saúde Norte/Central, Sul e Metropolitana e debater melhorias para a RAMI juntamente com Promotores(as) de Justiça e a área técnica da SESA. 

O encontro foi realizado na forma híbrida, presencial, no auditório da Promotoria de Justiça Cível de Vitória, e virtual, pela plataforma Teams. A reunião contou com a participação de promotores de Justiça de todo o Estado, assessores, representantes das Superintendências Regionais de Saúde, da área técnica da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e do Subsecretário de Estado de Assistência em Saúde. 

A dirigente do CAOPS e coordenadora do Gabinete de Acompanhamento da Pandemia do Novo Coronavírus (GAP-Covid-19) do MPES, promotora de Justiça Inês Thomé Poldi Taddei, conduziu a reunião e abriu o encontro. “Avanços significativos no funcionamento da rede de atenção materno infantil foram alcançados nos anos de 2018 a 2019. A partir de 2020 com a advento da pandemia da COVID 19, a rede manteve-se estagnada. 
É importante sanarmos as irregularidades levantadas desde o pré-natal, o parto e o pós-parto. A vinculação da gestante à maternidade de referência com a garantia do transporte seguro é um dos pontos a ser perseguido”, explicou. 

A dirigente do CAOPS fez uma breve apresentação das informações já compiladas pelo MPES em relação ao assunto. Inês Thomé explicou ainda que será realizada uma reunião também com os secretários municipais de saúde.  

Em seguida, o subsecretário de Estado da Assistência de Saúde, José Maria Justo, que esteve no auditório da Promotoria de Justiça Cível de Vitória, afirmou que as ações e as informações serão coordenadas a partir do núcleo central da Saúde. “Precisamos organizar essas situações do ponto de vista da informação, para que tenhamos um diagnóstico com dados que subsidiem tomadas reais de decisão”, salientou. 

No dia 23/06 (quinta-feira), a partir das 13h30, será realizada nova reunião híbrida para tratar da saúde bucal, também com as Regiões de Saúde Norte/Central, Sul e Metropolitana.

Veja as fotos